Sala de Aula Invertida na Prática

sala de aula invertida na pratica

A partir da leitura de alguns artigos sobre, Metodologia “Sala de Aula Invertida”, resolvi montar um plano de ação e experimentar esta metodologia inovadora na prática.

Desenvolvi esta Metodologia com alunos cursando o 4º ano do Ensino Fundamental I, faixa etária entre nove e dez anos. O Plano de ação teve como área de conhecimento, Ciências, com o Tema Sistemas, com os seguintes títulos: Sistema Digestório e os cuidados com a higiene e preservação dos alimentos, Sistema Cardiovascular, Sistema Respiratório e Sistema Urinário.

Download: Projeto Ciências – Sala de Aula Invertida

A Tecnologia como fonte de informação.

A primeira etapa para aplicar o Método Sala de Aula Invertida, dividi a turma em grupos, e desmembrei os conteúdos a serem trabalhados. Após determinar os grupos e conteúdos, direcionei os alunos à Laboratório de informática para explorar o assunto a ser trabalhado; buscar informações e imagens. Neste momento como mediadora, orientei sobre os sites apropriados a faixa etária.

A Sala de Aula Invertida permite aos alunos a construção do conhecimento, neste formato fui cuidadosa para não interferir no desejo de aprendizagem dos alunos, lembre-se como citei acima, neste momento o professor é somente mediador, dentro da capacidade de absorção e assimilação dos alunos, permiti que eles fossem além, os motivei, enriqueci o banco de dados cerebral dos meus alunos, através das buscas desenvolvidas por eles.

Laboratório de informática não precisa ser um ambiente de silêncio de reflexão interior, lembre-se os alunos estão trabalhando em grupo, visto desta forma, permiti o diálogo e a troca de informações. Após pesquisar e coletar material suficiente, orientei sobre a confecção de cartazes.

O efeito da tecnologia na sala de aula.

O cartaz é confeccionado pelo grupo na sala de aula, como mediadora conversei com alunos sobre, como montar uma aula expositiva, esclareci sobre o objetivo de transferir o que aprendeu aos colegas da classe; neste momento o aluno vai organizar, planejar e idealizar. Chegou a hora do aluno planejar! Pensar em estratégias para transmitir o conteúdo estudado, este foi o grande momento da Sala de Aula Invertida.

Os alunos confeccionaram os cartazes e organizaram a aula que aconteceu dentro de dois a três dias… Foi impressionante ver o empenho na divisão dos conteúdos, para que todos do grupo pudessem falar e participar, até os mais tímidos estavam dispostos a encarar o desafio da Sala de Aula Invertida.

Tecnologia.  A grande aliada do professor inovador.

No dia da apresentação o cenário da sala de aula era de muito movimento e tensão. Neste dia na hora da entrada o comentário dos pais eram assim:
“Nunca vi meu filho estudar tanto!”  
“Meu filho dormiu agarrado à folha rascunho!”
“Meu filho ficou treinando na frente do espelho!”
E o objetivo vai sendo alcançado a cada etapa da metodologia inovadora, que com certeza abalou de forma positiva as estruturas da minha sala de aula, que deixou de ter um formato tradicional para dar espaço a Sala de Aula Invertida, onde o aluno é o protagonista.

A apresentação é o ápice do plano de ação, um momento muito emocionante, ver o aluno passar por cima de algumas dificuldades como: Falar em público; um grande desafio para essa faixa etária.  A atuação dos alunos especiais, que precisam de maior concentração para organizar o pensamento.  E aconteceram fatos inesquecíveis, como: O que esqueceu e recomeçou! O que quase desistiu, mas o grupo apoiou! Os que pediram para apresentar novamente, o engraçado, e o que descobriu o talento para se expressar e encantar o público.
A turma apresentou envolvimento e satisfação ao apreciar a apresentação dos colegas, participaram com perguntas e até colaborações.

No momento das apresentações, minha função como mediadora, foi esclarecer conceitos e ajudar aos alunos na organização do conteúdo, quando necessário.

 

 

O material didático em harmonia com a tecnologia.

O livro didático é o material adotado pela escola, que o professor deve fazer uso, com o método da sala de aula invertida, este material deixa de ser a principal fonte de recurso e passa a ser o material de apoio, os alunos farão as atividades em grupo, ou seja, irão reforçar e registrar todo o conteúdo apreendido na aula expositiva.

Na sala de aula invertida o aluno conheceu um pouco do meu papel como professora e se sentiu motivado por saber que pode ensinar, transmitir conteúdo e até montar atividades… Faz-se assim o uso do caderno, propus aos alunos que registrassem no caderno três perguntas referente ao trabalho apresentado de cada grupo, a reação dos alunos é extraordinário. O aluno valoriza aquilo que produz.

As atividades propostas através da Metodologia Sala de Aula invertida foi integrada ao trabalho avaliativo ou avaliação informal, nesta avaliação usei como estratégia a autoavaliação e o aluno determinou uma nota para si próprio, expondo seus pontos positivos e negativos no decorrer do trabalho.

Durante a avaliação formal,  foi gratificante ver a dedicação dos alunos com desejo de mostrar através da prova, o conteúdo, que para eles, se tornou significativo. A Sala de Aula invertida desperta no aluno a capacidade intelectual a partir de ferramentas tecnológicas.

 

 


Saiba mais sobre Sala de Aula Invertida

Livro referência no assunto:

sala de aula invertida de Jonathan BergmannSala de Aula Invertida: Uma Metodologia Ativa de Aprendizagem
Autor – Jonathan Bergmann .  Aaron Sams

Dar a mesma aula quatro, seis e até oito vezes, em um só dia, para turmas diferentes. Que professor nunca passou por isso? Quem conseguiu manter, em todas as exposições, a mesma energia e entusiasmo? E a aula sempre alcançou os objetivos planejados? Em cada turma, alguns alunos certamente não entenderam uma parte da explicação e vários podem ter perdido algo do que foi dito. Mas na aula não há um botão de “pausa” nem é possível “voltar” um trecho para rever o assunto. É comum que, ao fazer as tarefas de casa, surjam as dúvidas – mas o professor já não está lá para apoiar. A obra ”Sala de Aula Invertida” ajuda a superar esses desafios. A ideia central é que o aluno assista previamente às principais explicações gravadas pelo professor ou estude o material indicado. O encontro presencial passa a ser a oportunidade para esclarecer dúvidas, realizar atividades, trocar conhecimentos e fixar a aprendizagem. O sucesso da ”Sala de Aula Invertida” na educação básica e superior, em escolas e universidades de diversos países do mundo – incluindo instituições de referência como Harvard e MIT – confirma que esse modelo chegou para revolucionar a relação dos alunos com o conhecimento. Neste livro, os criadores do conceito explicam como usar adequadamente a metodologia e as tecnologias associadas, obtendo mais autonomia, mais motivação e melhor desempenho.
Link para comprar o livro Sala de aula Invertida direto na editora

O Autor:

Autor referencia em sala de aula inveritdaJonathan Bergmann recebeu o Presidential Award for Excellence in Mathematics and Science Teaching, em 2002 e foi semifinalista no certame Teacher of the Year, no Estado do Colorado, em 2010. Atualmente, é facilitador em tecnologia de ponta da Joseph Sears School, em Illinois.

Jonathan Bergmann explica sala de aula invertida
–  Sala de aula invertida faz o aluno aprender mais, diz Jonathan Bergmann, pioneiro no método
–  Workshop de Sala de aula invertida

One Comment on “Sala de Aula Invertida na Prática”

  1. Parabéns, fantástica essa iniciativa, também sou professora e não conhecia essa metodologia de sala de aula invertida, muito bacana e muito clara suas instruções

Comments are closed.